Eventos

NRF 2020 – conheça as cinco tendências para o varejo

27 de janeiro, 2020

A 4all esteve na NRF Big Show 2020 entre os mais de 40.000 participantes, centenas de expositores, palestrantes e sessões. Depois de três dias de imersão, podemos dizer que a edição 2020 mostrou que a experiência do consumidor é o centro de tudo e muitos dos conceitos apresentados no ano anterior estão enfim se consolidando.

Para resumir nossa participação, fizemos uma curadoria com o que consideramos as cinco tendências principais para o futuro do mercado varejista. Aproveite!

1 – Customer Centricity

Estabelecer estratégias em função das características e demandas dos consumidores será determinante para estabelecer a relevância e o futuro dos negócios e isso, não é novo, é essencial. Para trabalhar essa estratégia, será fundamental explorar os dados, extrair inteligência desses dados e personalizar experiências, com foco total no consumidor. A complexidade de extrair informações dos clientes será um dos principais desafios do setor varejista em 2020.

2 – Dados e IA estão aqui para ficar

Dados e inteligência artificial (IA) foram um dos principais temas da conferência deste ano. Encontramos vários aplicativos que utilizavam algumas das tecnologias mais recentes, e o Publicis Sapient lançou novas pesquisas em parceria com a Adobe sobre como as empresas estão usando dados e IA em seus negócios.

Em algumas exposições, os dados e a IA foram difundidos, com aplicativos de reconhecimento facial no checkout, melhorando o rastreamento na loja, permitindo melhores análises e otimizações, além de câmeras na prateleira para identificar interrupções de estoque e problemas de planejamento.

3 – Transformação do varejo físico

Os espaços físicos de varejo sempre foram usados ​​para dar vida às marcas e cultivar a conscientização, o engajamento e a lealdade dos clientes. No entanto, as expectativas dos compradores evoluíram muito além de simples compras e o mercado continuam investindo em novos espaços com impressionantes elementos de design e arquitetura, altos graus de integração de tecnologia e, em muitos casos, uma combinação perfeita dos dois.

Além do design da loja, eles estão desenvolvendo recursos que facilitam a coleta de dados, o planejamento de variedade omnichannel, o cumprimento da cadeia de suprimentos e a logística reversa, em um esforço para competir de maneira mais eficaz com os players puros digitais.

4 – Assistentes virtuais

O uso de assistentes virtuais vem sendo impulsionado e a robótica assume uma posição de destaque, por exemplo, no controle de inventários. Tudo em tempo real, respeitando o cliente e, claro, coletando dados que permitam continuar aperfeiçoando ainda mais a personalização.

No alvo desse processo, chegaremos ao momento em que produtos e serviços procurarão seus clientes, e não mais os clientes precisarão ir atrás do que precisam.

4 – Valores e responsabilidade social

Os valores das empresas estão se tornando importantes fatores na decisão de compra. Agora, os consumidores demandam posicionamentos bem definidos, autenticidade, propósitos altruístas e acima de tudo, transparência nas relações.

Os varejistas que insistirem em desempenhar apenas o papel de intermediar a venda de produtos e serviços vão posicionar seus negócios em um perigoso território, marcado por alta competitividade e baixa perenidade. As pessoas demandam das empresas posicionamentos bem definidos, propósitos altruístas, autenticidade e transparência nas relações.

5 – O check-out sem atrito ainda é um trabalho em andamento

Os varejistas continuam experimentando maneiras de otimizar e simplificar o processo de pagamento para os compradores. Uma experiência interessante de autocontrole é a solução do fabricante chinês Hisense, que utiliza as câmeras para reconhecer itens em vez de exigir que os compradores encontrem e digitalizem códigos de barras. Além disso, a solução usa a tecnologia de reconhecimento facial para identificar compradores que já haviam configurado uma conta e um método de pagamento para agilizar ainda mais o processo de pagamento.

Resumo: A NRF 2020 foi marcada pelo uso da inteligência artificial para melhorar a oferta de soluções aos consumidores. Também revelou que o omichanel está mais forte do que nunca, a partir do uso de novas tecnologias, da visão computacional e das redes colaborativas. O futuro tem se desenhado a partir de uma enorme eficiência operacional, com menos trabalho manual e espaços usados com inteligência.

Palavras-chave: NRF2020; customer centricity; responsabilidade social; inteligência artificial; assistente virtual; loja física; experiência.

Acompanhe a cobertura dos primeiros dias da NRF 2020:

NRF 2020: primeiros dias – Foco no consumidor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *