Tech

Martechs: conheça a tendência no universo de comunicação de marcas e tecnologia

4 de setembro, 2020

Há tempo se fala que a única constante na vida é a mudança. Mas, convenhamos, de uns anos pra cá esta tem sido cada vez mais acelerada. Vivemos em meio a um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo, no qual transformações disruptivas em tecnologias, sistemas e comportamentos sociais acontecem a todo o momento. Quando falamos de modelos de negócio, isso não podia ser diferente.

Uma vez que as empresas e marcas são um reflexo da sociedade, estas também estão – ou, pelo menos, deveriam estar – em constante metamorfose, visando se manterem alinhadas às mudanças no contexto nas quais estão inseridas, assim como aos hábitos e expectativas dos consumidores. 

É comum que nos sintamos confusos ao nos depararmos com as – quase infinitas – novas terminologias e modelos de negócio que surgem para dar conta desse mundo novo em que vivemos. Mas estamos todos juntos nessa e hoje vamos abordar mais uma tendência que vem forte nos últimos tempos: as martechs. Vem ver!

O que é uma martech?

Para contextualizar: é provável que você já esteja mais habituado com o termo fintech – ou já tenha ao menos ouvido falar deste modelo de negócio que teve um boom no Brasil e no mundo nos últimos anos, certo? Como a contração das palavras sugere, essas são empresas que unem tecnologia à serviços financeiros. Faz sentido, né?

A galera do marketing não poderia ficar de fora dessa e foi aí que surgiram as… martechs! Seguindo a mesma lógica, estas compreendem negócios que unem os universos de tecnologia e de marketing. Falando assim, o conceito parece super simples. Mas, acredite, as possibilidades dentro desse escopo são incontáveis e cada vez mais relevantes.

Por que as martechs são relevantes no contexto atual?

Quando falamos da atuação de marcas atualmente, não é novidade que as entregas e experiências centradas no usuário são uma necessidade. Não há mais espaço para a elaboração e divulgação de produtos e serviços que não tenham como premissa as necessidades, cultura, valores e expectativas de quem vai ser impactado por tal oferta.

Paralelamente, temos em nossas mãos cada vez mais tecnologias exponenciais que podem potencializar e otimizar tudo isso. Como alguns exemplos, temos o uso de dados para compreensão dos seus clientes, implementação de estratégias omnichannel, experiências phygital, entre outras muitas possibilidades.

Um ativo chave que deve ser ressaltado nesse contexto são, como dito, os dados. Como dizemos por aqui, “é preciso conhecer seus clientes tão bem – ou melhor – que o google e o facebook”. Brincadeiras a parte, ter uma orientação por dados viabiliza a construção de experiências alinhadas às demandas dos usuários, personalizadas e com alta escalabilidade. Por sinal, caso ainda não tenha lido nosso artigo sobre como se tornar uma empresa data-driven, não deixe de conferir!

E na prática, como funciona?

Quando falamos de algo novo, nada melhor que um exemplo, né? E por coincidência – ou não – o ecossistema 4all apresentou recentemente sua mais nova empresa: a AIO. Esta é uma martech, com foco em desenvolvimento de plataformas e dados com audiências proprietárias. O objetivo é potencializar o que há de melhor na intersecção entre o marketing e a tecnologia, para assim decodificar experiências relevantes para clientes e com resultado para marcas.

Curtiu e quer saber mais? Acesse https://aio.company/!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *