Negócios

Ecossistema digital: conheça o modelo de negócio das big techs

11 de setembro, 2020

É provável que você já tenha ouvido falar sobre empresas que se estruturam como ecossistemas. Esse novo e disruptivo modelo de negócio, o qual se alinha fortemente com o contexto digital atual e tem repercutido ao redor do mundo, teve sua origem nas bigtechs chinesas, como Alibaba e Tencent. Pegando como exemplo nosso próprio recorte, a 4all também vem se estruturando para esse formato de ecossistema digital.

A um primeiro contato, o conceito pode parecer bastante confuso. O que é, afinal, um ecossistema digital? O que torna esse formato de organização empresarial tão inovador, revolucionário e valioso? Vem, vamos te contar!

Partindo do princípio: o que define um ecossistema digital

e·cos·sis·te·ma | substantivo masculino: Ecossistema é o nome dado a um conjunto de comunidades que vivem em um determinado local e interagem entre si e com o meio ambiente, constituindo um sistema equilibrado e autossuficiente. De alguma forma, todos os seres vivos se interconectam uns com os outros”.

Calma, a gente não enlouqueceu. Mas acreditamos que partir da origem do termo ecossistema – sim, o conceito vem lá da ecologia mesmo – pode nos ajudar a esclarecer o valor de transferir esse modelo para o mundo dos negócios.

Primeiramente, podemos ressaltar a ideia de um conjunto de comunidades, ou, no nosso caso, empresas. Nesse modelo de negócio, as organizações deixam de apostar exclusivamente em uma frente de atuação, passando a compor-se de um grupo de negócios com soluções interconectadas. Estes, compartilham de um mesmo ambiente empresarial, ainda que sua operação e seus produtos e serviços sejam estruturados e entregues de forma independente.

Mas não pense que, além de dividirem um mesmo espaço, tais negócios atuam de forma isolada. Pelo contrário, o grande valor dessa construção está justamente na capacidade do ecossistema de orquestrar conexões entre as distintas frentes, parceiros estratégicos, clientes e outras partes envolvidas. Nesse contexto, o efeito de rede faz com que os riscos e custos de cada uma das iniciativas individuais seja diluído, parceiros e ofertas sejam compartilhadas, além de ocorrer um intercâmbio de recursos humanos e tecnológicos que acelera o desenvolvimento das partes e do todo.

Gerando valor: o que define um ecossistema digital robusto

Um artigo recente publicado pela McKinsey se propõe a definir como empresas podem criar valor ao se constituírem como ecossistemas digitais. Neste estudo, são reunidas seis capacidades chave para a consolidação de ecossistemas alinhados com as necessidades da conjuntura atual.

Primeiramente, é apontada a competência de analytics avançado. Ou seja, como sempre gostamos de lembrar, dados são um fator estratégico essencial. Querendo saber mais sobre isso, leia nosso artigo sobre ciência de dados e a construção de negócios data driven.

Como um segundo ponto, é apontado o desenvolvimento e operações ágeis. Afinal, não há como estabelecer um modelo de negócio inovador se as operações do dia a dia forem feitas à moda antiga, né? Para saber mais sobre isso, leia nosso artigo sobre como aplicar metodologias ágeis nos negócios.

Na sequência, se aponta a necessidade do estabelecimento de mecanismos de governança interno, os quais serão responsáveis pelo arranjo entre as iniciativas e sua relação com a estratégia do core business. 

O que já nos leva à quarta competência: do estabelecimento de uma plataforma consistente, que compile as principais forças do negócio e amplie a sinergia entre as empresas. Pegando o caso da própria 4all como exemplo, nossas iniciativas têm como base um modelo de plataforma formado pelos pilares de Data Driven Marketing, Payments and Banking e Marketplace e Design.

O quinto ponto condiz com a capacidade do negócio em atrair e reter talentos, os quais, além de habilidades técnicas, tenham um perfil empreendedor e uma mentalidade transformadora alinhado ao negócio. Querendo saber mais sobre isso, confira nosso artigo sobre cultura horizontal.

Por fim, a capacidade e abertura para relações de parceria é essencial. Sejam essas entre as próprias empresas ou com players externos, não é possível se estabelecer como um ecossistema sem acreditar no potencial da colaboração.

E aí? A ideia dos ecossistemas digitais de negócio ficou mais clara ou conhecer melhor esse modelo só confunde mais sua cabeça? Conta pra gente! E não deixe também de conferir como esse formato já está sendo desenvolvido na 4all nos nossos próximos artigos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *