Negócios

Pitch: Definição e 3 formatos para ter na ponta da língua

19 de janeiro, 2021

Pitch

Em um  artigo divulgado há quase duas décadas pela Harvard Business Review, a autora Kimberly Elsbach levanta uma realidade que é comum a empreendedores até hoje: ter ideias criativas e inovadoras é fácil, o que é difícil é vendê-las para estranhos.

Ainda mais se estes ouvintes forem pessoas que podem ditar o rumo do seu projeto ou negócio – como é o caso de investidores, altos executivos ou parceiros estratégicos – grandes são as chances de que fatores como o nervosismo e a falta de estruturação do discurso criem uma disparidade entre o potencial do que você está vendendo e a impressão que será passada aos outros.

Dessa dor e necessidade de milhares de empreendedores e intraempreendedores ao redor do mundo, se popularizaram as apresentações denominadas Pitch. Hoje em dia essa é uma prática extremamente comum no ambiente de negócios, ainda mais no cenário das startups.

Independente se você já viveu a experiência de apresentar um Pitch ou se está se deparando com o termo pela primeira vez, segue a leitura! Vamos ver o que diferencia esse formato de apresentação na prática, além de dar três exemplos de formatos muito comuns: os quais, se você tem um negócio, precisam estar na ponta da sua língua. Vem ver!

O que é um Pitch?

Um Pitch é uma apresentação do seu negócio, que tem como objetivo despertar o interesse e vender sua ideia a distintos stakeholders. É um formato comumente utilizado para apresentações a potenciais investidores.

Em nosso outro artigo “Venture: Entenda o que é e 4 termos derivados”, apresentamos o que é Venture Capital, prática de investimentos que tem relação direta com a apresentação de Pitches para investidores.

Contudo, sair falando sobre o seu negócio – sem foco e planejamento – não é sinônimo de um Pitch. Esse, possui um tempo definido – o qual varia de acordo com os distintos formatos que veremos adiante. A meta é utilizar esse prazo para cativar o ouvinte, apresentando as informações mais relevantes sobre o seu projeto através de uma narrativa envolvente.

Assim, como prioridade, a apresentação de um Pitch deve conter uma linguagem clara e persuasiva. É preciso encontrar o balanceamento e a forma ideal de apresentar sua proposta, estando alinhado ao contexto em que se está inserido.

Em termos gerais, a base de um Pitch contém os seguintes componentes:

  • Diagnóstico de um problema a ser resolvido;
  • A solução sugerida para esse problema (proposta de valor do negócio);
  • Os resultados esperados pela startup;
  • Dados do mercado em questão;
  • Modelo de negócio
  • O investimento necessário;
  • Análise da concorrência;
  • Equipe.

Evidentemente, no caso de um Pitch com mais tempo, alguns dos itens serão desdobrados mais profundamente do que em apresentações mais rápidas. 

Por isso, é importante estar ciente de alguns dos formatos mais comuns de Pitch que o seu negócio pode vir a se deparar ao longo da jornada. Confira:

1. One sentence pitch

Em certos contextos, você não terá a oportunidades de dar maiores explicações sobre o que o seu negócio faz. No caso de estar se apresentando rapidamente para alguém em um evento, por exemplo, uma frase é o máximo que você terá para definir sua proposta. Garanta ter essa sentença pronta na cabeça, com uma definição clara e atraente. Essa tipo de apresentação também é chamado de Tweet Pitch – em razão da antiga limitação de caracteres do Twitter.

2. Elevator pitch

O termo “elevator pitch” – pitch de elevador, em tradução – tem esse nome devido a uma possibilidade inesperada – mas viável – de que você venha a encontrar um potencial investidor valioso para o seu negócio em um elevador. Se esse fosse o caso, desperdiçar a oportunidade de vender sua ideia geraria um grande arrependimento, né? Por isso, é válido ter um Pitch de 30 segundos a 1 minuto na ponta da língua. Até chegar no térreo você pode fechar uma oportunidade de investimento!

3. Pitch Deck

O terceiro formato que trouxemos para apresentar aqui – ainda que existam outros – é o Pitch Deck. Este já é uma apresentação mais completa, estruturada com uma boa linha narrativa e todas as informações relevantes para vender sua ideia de negócio aos investidores. Nesse caso, são utilizados recursos visuais (apresentação de slides) como suporte à fala. É comum se ter duas versões da apresentação, uma mais visual – para a hora do Pitch – e outra mais completa para envio posterior por e-mail.


E aí? Ficou claro o que é um Pitch, os formatos apresentados e o quão importante essa técnica de apresentação pode ser para o seu negócio? Se ainda não começou a pensar no seu, agora é a hora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *